Estão abertas as inscrições para IV Concurso Escritores Escolares de Poesia e Redação

18527861_1338918379490955_6937992792981081426_n
Estão abertas, até o dia 14 de junho, as inscrições para o IV Concurso Escritores Escolares de Poesia e Redação, voltado para estudantes do ensino fundamental I, II e ensino médio – de escolas públicas e particulares de todo o estado. A iniciativa é da Fundação Pedro Calmon/SecultBa, através da Diretoria do Livro e Leitura (DLL).
Cada estudante pode se inscrever com apenas um poema ou uma redação − ficcional ou não – inédita e de tema livre. Este ano os estudantes vão concorrer a notebooks, tablets, leitores de livros digitais e kits livro. Para saber mais informações acessar o site da Fundação Pedro Calmon, onde também podem ser encontrados a ficha de inscrição, o regulamento, os textos premiados nos anos anteriores e dicas de escrita criativa.
As inscrições devem ser feitas, presencialmente, na sede da Fundação, em Salvador, de segunda a sexta-feira, no horário das 09h às 12h e das 14h às 17h30 devendo ser protocoladas na sede da Fundação Pedro Calmon, no endereço: Av. Sete de Setembro, 282, Edf. Brasilgás, sala 09, 4º andar, Centro, Salvador (BA), CEP: 40.060-001, ou por via postal (enviadas pelos correios) com Aviso de Recebimento (AR).
Anexos seguem ficha de inscrição com termo de autorização dos pais, regulamento, cards para divulgação em redes sociais e WhatsApp, o cartaz que pode ser impresso e colocado nas escolas e uma apresentação de slides para a divulgação do concurso em sala de aula.

Municípios podem realizar adesão ao Programa Saúde na Escola

palestrahigienebucal1
Os municípios podem realizar a adesão ao Programa Saúde na Escola (PSE), até o dia 14 de junho, no endereço egestorab.saude.gov.br. O programa terá duração de 24 meses e vai contemplar as escolas públicas do município, independente da esfera administrativa (estadual, municipal e/ou federal). Para a inscrição, os gestores responsáveis pelas secretarias municipais de educação devem indicar as escolas para a participação seguindo critérios, como as condições de vulnerabilidade dos estudantes.
O coordenador de Educação Ambiental e Saúde, Fabio Barbosa, da Secretaria da Educação do Estado, fala da importância da adesão dos municípios ao programa. “Considerando que a proposta do PSE vem na perspectiva da articulação entre políticas públicas, a adesão do município é o primeiro passo para as práticas de promoção e prevenção de agravos e doenças em crianças, adolescentes, jovens e adultos”, destaca.
Realizando ações há quatro anos, o Colégio Estadual Ypiranga, no 2 de Julho, promove uma série de atividades com os estudantes, junto à unidade de saúde do bairro, que envolvem vacinações, avaliações de saúde bucal e psicológica, além de palestras sobre diversos temas. “No colégio, nós mantemos um Grupo de Trabalho Intersetorial Local (GTIL) que é integrado por professores, alunos e agentes de saúde. Com isso buscamos, por meio de reuniões, perceber as necessidades da comunidade escolar e oferecer serviços focados nesta demanda”, destacou o professor Zulmiro Souza, articulador da Educação Integral na unidade.
Para Fabio, a criação do GTLI nas escolas é uma das ações incentivadas pela Secretaria. “Apesar do PSE seguir uma proposta de 12 ações, como o combate ao mosquito Aedes aegypti e promoção da segurança alimentar e nutricional, temos a consciência que alguns locais têm demandas específicas que podem ser identificadas pelos agentes sociais do local. Por isso, esse trabalho interno pode contribuir para que possamos ser mais eficientes em nossas ações”, afirmou.
Para a estudante 2º ano, Letícia Silva 16, do Colégio Estadual Ypiranga, o programa vem trazendo diversos benefícios para a comunidade escolar. “Termos essas atividades na escola promovem a saúde dos estudantes de forma regular. Isso é muito importante pois interfere diretamente na condição de aprendizado. Desde o ano passado participo do GTLI e estou bastante motivada para mobilizar os colegas para as atividades que realizamos e vamos realizar durante o ano letivo”, conta.
PSE - O Programa Saúde na Escola é uma política intersetorial, regido pela Portaria Interministerial nº. 1.055, de 25 de abril de 2017, na qual a articulação, principalmente, dos setores da educação e da saúde, é indispensável para efetividade das ações. O objetivo principal é a atenção integral à saúde dos educandos da rede pública, através de ações de promoção, prevenção e atenção à saúde de forma a empoderá-los para o reconhecimento e, consequentemente, o enfrentamento das situações que os tornam vulneráveis e que possam vir a comprometer o seu pleno desenvolvimento.

Secretaria da Educação do Estado realiza cadastro dos líderes de classe

IMG-20170518-WA0081

Os 42 mil líderes e vice-líderes de classe eleitos nas escolas da rede estadual de ensino já estão colocando em prática as suas atribuições. Eles são osinterlocutores da turma junto à comunidade escolar e, agora, devem articular e propor melhorias para a ambiência na unidade de ensino. Um dos primeiros passos é preencher o questionário “Quem é você, líder?”, até dia 1º de julho, disponível no Portal da Educação, através do link: http://estudantes.educacao.ba.gov.br/o-que-e-ser-lider.

De acordo com Helaine Souza, coordenadora de Articulação dos Projetos Estruturantes da Secretaria da Educação do Estado, o questionário foi elaborado para identificar o perfil dos (as) líderes atuantes nas unidades escolares da rede estadual. “Os dados preenchidos subsidiarão práticas pedagógicas direcionadas ao contexto e anseios dos estudantes e poderão orientar os professores, gestores e a própria Secretaria da Educação na busca pela melhoria das aprendizagens significativas, e com foco na formação humana integral”, informa.

Além de campos para preenchimento de dados pessoais, o questionário inclui levantamento de informações sobre opções de leitura, rotina de estudos, atividades culturais, participação em movimentos sociais, utilização de redes sociais, escolha da futura profissão e outras.

Plano de Ação – Uma das principais atribuições de um líder de classe é elaboração de um Plano de Ação que contemple as necessidades da unidade escolar relativas à melhoria do processo de ensino e aprendizagem, respeitando as legislações vigentes e os trâmites administrativos da unidade escolar, contribuindo para a manutenção do clima escolar colaborativo.

Clique aqui para baixar o modelo do Plano de Ação: (http://estudantes.educacao.ba.gov.br/planolider).

O Plano deverá ser elaborado a partir de reuniões com os líderes de todos os turnos da escola e contemplar ações nas áreas administrativa, relacional e/ou pedagógica. O documento resultante das demandas e discussões coletivas devem refletir os anseios que os líderes visualizam para as suas escolas. Para isso, são pensadas estratégias para a concretização das ações contidas no Plano a ser revisado a cada dois meses.

Formação - Cada unidade de ensino deve reunir os líderes de classe e propor uma formação na qual serão discutidos alguns temas. A Secretaria da Educação está indicando três temas: ‘Educação para o Século XXI: as competências socioemocionais na escola’; ‘Curto e/ou compartilho: educomunicação, autoria e empoderamento’ e ‘O mundo, minha aldeia: sociedade de consumo x sociedades sustentáveis’.

Clique aqui para fazer o download dos textos: http://estudantes.educacao.ba.gov.br/materialdeapoioliderdeclasse

IMG-20170518-WA0077                                      IMG-20170518-WA0078

IMG-20170518-WA0105                                                                                 IMG-20170518-WA0106

Estudantes criam mapa tátil para auxiliar aprendizado de colegas com deficiência visual

projeto-mapa-tatil-2
Os estudantes Eduardo dos Reis Souza e Laíse Sales Silva, do Colégio Estadual Luiz Viana Filho, localizado em Irecê (481 km de Salvador), no Centro Norte Baiano, desenvolveram um mapa tátil adaptado para alunos com deficiência visual. O projeto “Mapa tátil das regiões brasileiras: conhecendo o Brasil com as mãos” tem o objetivo de auxiliar no aprendizado de conteúdos da disciplina de Geografia, no qual é possível diferenciar, através do tato, as regiões contornadas em diferentes relevos.
O projeto surgiu após os estudantes refletirem sobre o acesso a ferramentas de aprendizagem por alunos que não podem enxergar. O material, confeccionado de forma artesanal, também vai ajudar os professores no processo de ensino ao trabalharem os elementos cartográficos.
Segundo o secretário da Educação, Walter Pinheiro, projetos como este demonstram a criatividade e a visão social dos estudantes. “Estamos qualificando o programa Ciência na Escola para que projetos como este de grande relevância e alcance social ultrapassem os muros das escolas e sirvam para resolver problemas da sociedade, comprovando o potencial destes estudantes para o mundo da Ciência e da Inovação”, destacou.
“Para a realização do projeto procuramos conhecer melhor pessoas com deficiência visual ao visitarmos a Associação de Deficientes Visuais de Irecê (Adevir) e algumas escolas do município. Além de pesquisas de campo e confecção de protótipos, realizamos pesquisas bibliográficas que nos dessem o suporte científico necessário para o desenvolvimento do nosso projeto. É muito importante criar algo que vai ajudar estudantes com deficiência visual a aprenderem de forma prática”, afirma o estudante Eduardo Souza.
O mapa foi confeccionado de maneira criativa, utilizando materiais como cartolina, papéis de diferentes texturas, EVA e cola 3D. As imagens foram copiadas com um papel transparente e repassadas com papel carbono para as partes do mapa. As regiões foram delimitadas com cola 3D, nas quais foram colados materiais específicos para diferenciar cada região. O título e a legenda do mapa foram escritos em braile e impressos em impressora de tinta a jato e etiquetadora.
Segundo a professora de Geografia e orientadora do projeto, Alda Manuela de Freitas, a produção científica visa a inclusão. “Ao tocarem o mapa, os estudantes com deficiência visual identificam os diferentes relevos e aprendem sobre as regiões do Brasil. Este material didático específico para eles vai enriquecer o aprendizado de forma mais significativa”, explica a educadora.

NTE do Sertão Produtivo promove Congresso Técnico do JERP 2017

capa

O Núcleo Territorial de Educação do Sertão Produtivo, NTE/13, está promovendo esta semana o Congresso Técnico das Modalidades Esportivas do JERP por pólo – Caetité (17), Guanambi (18) e Brumado (19) – para tomada de decisões sobre a realização dos Jogos Estudantis em todas as suas etapas: escolar, municipal e regional.

Hoje (17), Caetité sediou o referido encontro que teve como objetivo fazer uma avaliação da edição de 2016, destacando os resultados positivos, bem como as dificuldades encontradas durante sua realização.

O evento contou com a participação de Professores de Educação Física, Gestores Escolares e representantes dos municípios em que a rede estadual ainda oferta o Ensino Fundamental II.

Durante o Congresso a Coordenadora da CODEB, Profª. Anaíde Fernandes e o Técnico do JERP Prof. Genival Matos, apresentaram o regulamento geral do JERP para 2017 fazendo as adequações necessárias e possíveis para a efetivação das atividades em suas respectivas etapas.

Após discussão com todos os envolvidos foram feitos encaminhamentos sobre questões como: cronograma de realização do JERP 2017, categorias, modalidades, datas, locais, número de participantes, arbitragem, transporte, entre outros.

Para a Profª. Anaíde “o encontro de Caetité foi muito positivo porque além de avaliar o JERP 2016 e fazer encaminhamentos necessários para os referidos jogos em 2017, foi possível discutir com os Professores sobre a importância do componente curricular de Educação Física na formação cidadã do estudante”.

 1 2 3 4 5 6 20170517_092046 20170517_092137 20170517_094104 20170517_120253

 

Projeto Educação Empreendedora vai capacitar 50 mil jovens

capa
Promover a cultura empreendedora e capacitar os baianos para dinamizar ainda mais a economia da capital e também do interior. Estas são as metas do projeto Educação Empreendedora, desenvolvido pelo Governo do Estado, em parceria com o Sebrae-BA. Lançado pelo governador Rui Costa, nesta terça-feira (16), o projeto vai levar cursos de qualificação para os 27 Territórios de Identidade da Bahia, capacitando professores e estudantes para alcançar mais de 50 mil jovens baianos até 2018, sendo 40 mil alunos da educação básica e 10 mil da educação profissional. O lançamento ocorreu no Centro Educacional Carneiro Ribeiro – Escola Parque, no bairro da Caixa D´Água, em Salvador, e contou com a presença de gestores da educação e autoridades.
“Vamos implementar nas nossas escolas o que estamos chamando de escola empreendedora, ou seja, que transmite habilidades, conhecimentos para os alunos de como empreender, inovar. Capacitar não só a montar um negócio, mas como criar algo novo dentro de um negócio que já existe. Estamos vivendo uma época de mudanças no mercado de trabalho, onde há mais espaço para esse tipo de habilidade, fugindo um pouco daquele modelo tradicional de emprego, por exemplo. Por isso queremos habilitar nossos jovens para esta nova realidade”, ressaltou Rui.
De acordo com o governador, o anúncio do projeto foi realizado na presença de gestores e diretores, porque o Governo quer o engajamento de todos para fazer da Educação Profissional um sucesso no estado. “Esta reunião traduz o sentimento de união que queremos reforçar para transformar a educação na Bahia numa força que gera oportunidades e forma profissionais. A Secretaria e o Governo do Estado podem estabelecer diretrizes para os programas, mas as coisas acontecem na escola”.
O projeto Educação Empreendedora vai promover a formação de estudantes e de professores com a oferta de três cursos específicos da área, com vagas abertas já este ano. Parceiro do Governo do Estado, o Sebrae fica responsável pelas aulas e pelos materiais. Com inscrições abertas nesta terça-feira (16), o curso para Licenciamento de Metodologias de Educação Empreendedora é voltado para professores de 15 Centros Territoriais de Educação Profissional, alcançando a qualificação de 50 mil estudantes, nesta primeira etapa, até o próximo ano. Os interessados podem se inscrever até o de 23 de maio, através do e-mail educacao@ba.sebrae.com.br. As aulas acontecem de 7 de junho a 4 de agosto.
De acordo com o secretário da Educação, Walter Pinheiro, além dos estudantes, o projeto abre oportunidades para quem não está em idade escolar. “Estamos selando essa parceria com o Sebrae, que vai possibilitar levar a educação empreendedora para 168 municípios baianos. Queremos, com todos os programas do Governo do Estado, criar um novo ambiente nas escolas, relacionando o conhecimento com a economia local, com a vida cotidiana das pessoas”.
O Educação Empreendedora vai contribuir para motivar estudantes, como Maria Luiza Pinheiro, 3º ano do Curso Técnico em Química, do Centro Territorial de Educação Profissional da Região Metropolitana, em Camaçari, que desenvolveu, junto com mais três colegas, um projeto em que produz produtos a partir de óleo residual. “Desenvolvemos diversos produtos como esmalte, batom, tinta e vela, utilizando materiais encontrados em lanchonetes e na própria escola. Isso nos dá a possibilidade de conseguimos promover o uso sustentável do óleo, evitando que fosse descartado em rios. Agora estamos estudando sua comercialização e procurando parceiros para que possamos apresentar na 69ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) que ocorre em julho, na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), em Belo Horizonte”, contou.
Mais cursos
O curso Técnico em Administração, do Eixo Tecnológico Gestão e Negócios, busca a formação e a capacitação de estudantes. Com a duração de quatro anos, serão ofertadas 35 turmas, que já começam no segundo semestre deste ano. Inicialmente, o curso será implantado no Centro Estadual de Educação Profissional Bahia (CEEP Bahia), em Salvador.
O curso de de Micro Empreendedor Individual disponibiliza 720 vagas, distribuídas em 24 turmas, para estudantes da rede de Educação Profissional e Tecnológica do Estado da Bahia, nos 27 Territórios de Identidade, e também por meio do Pronatec.
De acordo com o superintendente do Sebrae Bahia, Adhvan Furtado, a capacitação de professores vai possibilitar que o empreendedorismo chegue aos estudantes junto com conteúdos programáticos, como matemática e outras disciplinas. “O empreendedorismo vai contribuir para desenvolver de forma muito democrática as regiões da Bahia, principalmente no interior do estado, onde a informalidade é muito grande. A partir do momento que essas pessoas têm conhecimento, que estão preparadas para empreender com qualidade, elas percebem que a formalização é importante e que elas podem usar as vocações locais para ter sucesso”, afirmou o superintendente.
Primeiro Emprego
O evento desta terça também reuniu gestores de unidades de ensino que oferecem Educação Profissional no estado, para debater a oferta de vagas e a procura de estudantes pelo programa Primeiro Emprego. O objetivo é identificar egressos para atuar nas secretarias de 150 unidades escolares, ampliando, ainda mais, a inserção dos jovens no mundo do trabalho. O governador Rui Costa pediu aos estudantes que eles atualizem seus dados. “Estamos em uma busca ativa dos jovens egressos da escola técnica para oferecer uma oportunidade, mas esbarramos na dificuldade de encontrá-los por falta de informações ou dados equivocados no cadastro. Queremos gerar nove mil vagas no setor público e estamos trabalhando para gerar mais nove mil na iniciativa privada. Então peço que vocês preencham e os professores orientem os alunos na importância desse cadastro”, destacou Rui.
A ideia do programa é inserir nove mil jovens no mercado de trabalho até o final de 2018. Para isso, é importante que os estudantes estejam com seus dados cadastrais atualizados no banco de dados da Secretaria Estadual de Educação. A atualização pode ser feita pela internet, no site ou ainda na unidade escolar em que o estudante está matriculado ou que concluiu seu curso. Até o momento, um total de 7.214 egressos e estudantes da rede estadual foram convocados, sendo que 2.257 deles já foram encaminhados para postos de trabalho.
1 2 03_12 3 4                                                                            05_12

Inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio começaram nesta segunda (8)

dsc0532
As inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) começaram nesta segunda-feira, 8, e ficarão abertas até as 23h59 do dia 19 de maio. Para se inscrever, o candidato deve acessar a página eletrônica do exame. O prazo para pagamento da taxa de inscrição, no valor de R$ 82, termina no dia 24 de maio, no horário de compensação bancária.
Três grupos têm direito à isenção do pagamento da taxa de inscrição. O primeiro deles é o de estudantes que concluíram o ensino médio em escolas da rede pública. Estes recebem a isenção automaticamente. O segundo se refere a membros de famílias de baixa renda em situação de vulnerabilidade socioeconômica – de acordo com os termos do Decreto 6.135/2007 – e que estejam inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico). Para isso, devem informar o Número de Identificação Social (NIS). Por fim, candidatos com renda familiar por pessoa igual ou inferior a um salário mínimo e meio e que cursaram todo o ensino médio na rede pública ou em escola particular como bolsistas integrais, conforme a Lei nº 12.799/2013.
A solicitação de isenção deve ser feita durante a inscrição, por meio da declaração de carência socioeconômica. O estudante saberá na mesma hora se o pedido foi aceito. Em caso negativo, o sistema vai gerar automaticamente a Guia de Recolhimento da União (GRU) para o pagamento da taxa. Aquele que tentar burlar as regras do exame pode ser eliminado a qualquer momento. O participante isento da taxa no Enem 2016 e que não compareceu à prova só terá direito à isenção no Enem 2017 se justificar o motivo da ausência no Sistema de Inscrição.
Mudanças
Até o ano passado, não havia a verificação das informações prestadas, o que permitia que pessoas que não se enquadravam no perfil acabassem se beneficiando com a isenção da taxa. Estudo realizado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) revelou que, em média, 50% dos estudantes que solicitavam o benefício não compareciam às provas do Enem.
“O sistema está preparado para qualquer tentativa de fraude. Temos, sim, uma preocupação com o uso do recurso público, mas também de aperfeiçoar o sistema e implementar uma cultura mais ética no processo”, destacou a diretora de Gestão e Planejamento do Inep, Eunice Santos.
Apenas em 2016, foram 42,1% de abstenções entre os que solicitaram a isenção. Já entre os estudantes que concluíram o ensino médio e tiveram abstenção automática, o percentual cai para 23,8%. O prejuízo aos cofres públicos foi calculado em R$ 226,17 milhões somente no ano passado.
Para fazer a inscrição, o candidato deverá informar o CPF e a data de nascimento. As informações serão cruzadas com o banco de dados da Receita Federal. Por isso, dados como nome do participante e da mãe, além da data de nascimento, não poderão ser alterados. Caso haja algum erro, é necessário procurar a Receita Federal para solicitar a correção. Nesse caso, a inscrição deverá ser concluída apenas após a retificação.

Secretário Pinheiro apresenta proposta para universalizar a banda larga nas escolas públicas no País

reuniao-ordinario-do-consed
O secretário da Educação da Bahia, Walter Pinheiro, apresentou, nesta quinta-feira (11), propostas para a universalização da banda larga nas escolas públicas, durante II Reunião Ordinária do Conselho Nacional de Secretários da Educação. O secretário defendeu uma ampla mobilização nacional, envolvendo o uso da infraestrutura já existente no país, a exemplo da RNP, que já interliga as universidades públicas, e as redes da Chesf e da Telebras, além do satélite geoestacionário brasileiro, recentemente lançado.
Na proposta apresentada por Pinheiro, os ministérios de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTI) e da Educação (MEC) lançariam editais por serviços de banda larga, em parceria com os estados. “Nós vamos entrar com a garantia de compra de serviços para atender as escolas, seja por fibra, por rádio, satélite ou OPGW”, destacou.
Pinheiro também avaliou que se essas compras forem nacionais, ocasionarão o barateamento na aquisição de equipamentos e aumento da qualidade, “para ter a capacidade de cobrir completamente e de forma eficiente o que é o grande nó nosso, que é o atendimento das escolas, preparando para fazer a integração. Portanto, uma escola mais distante poder participar de uma avaliação, dos debates, ter as experiências e o patrocínio do ponto de vista da sua alteração pedagógica da mesma forma das escolas que estão nos centros mais avançados”, disse.
As soluções apresentadas por Pinheiro também interligariam com banda larga hospitais, delegacias, centros de controle integrados e defesa civil, ampliando ainda o acesso dos cidadãos a serviços de e-gov.
>> Secretário Walter Pinheiro fala sobre a reunião; assista ao vídeo

Encerram nesta sexta-feira as eleições para o Colegiado Escolar nas escolas estaduais

CAPA

Durante toda esta semana, para se dirigirem até a escola, muitos estudantes da rede estadual ganharam a companhia de seus pais, mães e responsáveis. É que as escolas estaduais da capital e do interior estão realizando as eleições para o Colegiado Escolar, que é composto por representantes dos estudantes, professores, funcionários e das famílias. A missão do conselho é contribuir para a gestão democrática e participativa das escolas, visando a união de todos pela melhoria da Educação.

“O Colegiado é extremamente importante, por meio dos qual, todos os segmentos podem dar sugestões, acompanhar e fiscalizar as ações pedagógicas e administrativas da escola. Inclusive é uma forma de os pais estarem mais presentes no cotidiano da escola onde seus filhos estudam podendo, portanto, contribuir com a direção da escola, fortalecer a gestão e, consequentemente, a Educação”, afirma o secretário da Educação do Estado, Walter Pinheiro.

A eleição é promovida pela Secretaria da Educação do Estado e cada escola escolheu um dia da semana para o pleito. Urnas são disponibilizadas, nos três turnos, nas unidades escolares. Para a formação do colegiado, a votação é por segmentos. Só o diretor da unidade escolar tem representação garantida. As unidades escolares já têm a lista dos votantes.

As 34 UEE circunscritas ao Núcleo Territorial de Educação do Sertão Produtivo – NTE/13 estão envolvidas nesse processo de eleição fortalecendo dessa forma a participação da comunidade na tomada de decisão da instituição, exercendo um relevante papel na determinação da missão, dos objetivos, prioridades e avaliação dos programas e projetos da unidade escolar.

Para o Diretor do NTE 13, Prof. André Brandão, “o Colegiado Escolar é a base mais importante da gestão democrática visto que o funcionamento do Colegiado cria condições para que Professores, pais e alunos reflitam sobre suas ações e definam diretrizes para a obtenção de um andamento eficiente da escola bem como para a eficácia de seu processo pedagógico”.

0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13                                                       14

15                                                                                        16

Escolas participaram de encontro formativo para desenvolvimento dos projetos culturais

videoconferencia
Estudantes, professores articuladores, coordenadores pedagógicos e diretores escolares da rede pública estadual, envolvendo os 27 Núcleos Territoriais de Educação (NTE), se reuniram, nesta quarta-feira (10), em torno da videoconferência “A Arte e Cultura nos contextos escolares: o pioneirismo na poética nacional”. O evento, realizado pela Secretaria da Educação do Estado da Bahia, no Instituto Anísio Teixeira e nas telessalas dos NTE, teve como proposta promover um encontro formativo para o desenvolvimento de mais uma edição dos projetos culturais, realizados anualmente na rede.
A coordenadora de Projetos Intersetoriais da Secretaria da Educação, Nide Nobre, ressalta que o encontro visou aprofundar o debate sobre os conhecimentos artísticos e culturais estudantis em suas distintas linguagens e mobilizar a comunidade escolar para o desenvolvimento dos projetos culturais da Secretaria: Festival Anual da Canção Estudantil (Face), Tempos de Arte Literária (TAL), Artes Visuais Estudantis (AVE), Educação Patrimonial e Artística (EPA), Mostra de Dança Estudantil (Dance), Produção de Vídeos Estudantis (Prove), Encontro de Canto Coral Estudantil (Encante); Festival Estudantil de Teatro (Feste) e Fanfarras Escolares.
O encontro contou com a participação do ator baiano Ricardo Bittencourt, que falou sobre o espetáculo “Boca a boca: uma homenagem a Gregório”, que busca reconhecer a importância do poeta baiano, considerado, por muitos teóricos, o primeiro escritor brasileiro efetivamente nascido no Brasil, em 1636. Já a arte-educadora Francine Costa, coordenadora do grupo de dança, teatro e dança de rua Black Dance, do Colégio Estadual Elisabeth Chaves Veloso, abordou o tema “Cultura e dança de rua nas escolas da rede estadual”. A atriz Clarissa Torres, por sua vez, falou sobre “Elementos do teatro”.
Ainda durante a videoconferência, foram disseminadas as orientações para o concurso “Festa Literária na Rede Estadual Gregório de Mattos: Boca do inferno” – ação que visa celebrar o nascimento, a vida e a obra do poeta satírico lírico, improvisador, bem como exaltar a arte e a criação literária e trazer contribuições sobre a história cultural da Bahia/Brasil, com destaque para as datas magnas 25 de junho (em Cachoeira), e 2 de julho (em Salvador).
Projetos culturais
Iniciados em 2007, os projetos culturais têm a participação dos estudantes do 6º ano do Ensino Fundamental ao 3º ano do Ensino Médio e equivalentes. A iniciativa da Secretaria da Educação do Estado da Bahia busca diversificar e inovar os currículos escolares, assim como valorizar as expressões culturais regionais, promovendo exposições das obras de arte estudantis nos contextos escolares e, sobretudo, o acesso dos estudantes ao conhecimento científico, às artes e à cultura.